Busque por Ofertas

Filtre por Característica

Filtre por Perfil da Viagem

Filtre por Serviços

Filtre por Tema

1º DIA • PORTO – CHAVES (KM 0) – VILA REAL (KM 61)
 
Saida do Porto, em direção a Chaves, marco 0 da mítica Estrada Nacional 2. Visita ao centro histórico com destaque para o que resta do Castelo de Chaves, Torre de Menagem, Museu de Arte Romana e Igreja Matriz, que evidencia claramente as adversidades sofridas, como a Reconquista Cristã e o jogo de poder entre Portugal e Espanha. Continuação das visitas pelo Forte de São Francisco, que alberga atualmente um emblemático hotel, terminando na Ponte de Trajano, em granito e considerada uma das maiores heranças flavienses, quer pela sua beleza quer por ser uma estrutura que testemunha a resistência ao tempo e às intempéries. Partida para Vidago. Tempo Livre para Almoço ( sugerimos o emblemático Vidago Palace Hotel, com a assinatura do Chef Vitor Matos, detentor de 1 estrela Michelin). A partir do km 0, seguiremos pela espinha dorsal do país em direção a Vila Real, passando pela Veiga de Chaves, junto ao rio Tâmega. Vidago, igualmente conhecida pelas suas estâncias termais, Pedras Salgadas, Vila Pouca de Aguiar e Vilarinho de Samardã estão no percurso. Chegada a Vila Real, capital da província de Trás-os-Montes, e visita ao esplêndido Palácio de Mateus, um solar construído no séc. XVIII, que se destaca como um dos mais belos exemplares do período barroco em Portugal. Visita à Casa principal e aos seus bonitos jardins e passagem pela Sé Catedral. Jantar e alojamento no Hotel Miracorgo 4* ou similar.
 
 
2º DIA • VILA REAL (KM 61) – RÉGUA – LAMEGO – CASTRO DAIRE – VISEU (KM 174)
 
Pequeno almoço no hotel, partimos em direção à Régua, região demarcada mais antiga do mundo, com passagem por Santa Marta de Penaguião. Visita ao Museu do Douro, criado em 1997, local de acolhimento e representação da memória, cultura e identidade da região vinhateira – consagrada como Património da Humanidade pela UNESCO, como paisagem cultural, evolutiva e viva. Continuação da viagem por Lamego, município com uma forte herança cultural, repleto de igrejas, capelas, aldeias históricas e pontes medievais. Visita ao Santuário de Nossa Senhora dos Remédios e à sua escadaria, o ex-libris da cidade, construído no séc. XVIII no monte de Santo Estevão. A escadaria ergue-se desde o centro da cidade até ao cimo do monte e está repleta de lugares sagrados e surpreendentes (possibilidade de subir a pé ou em autocarro). Prosseguimento pela Serra de Montemuro com paragem na aldeia de Mezio, em Castro Daire, Tempo livre para almoço do afamado arroz de feijão com salpicão, seguido de visita ao pequeno museu que apresenta as artes tradicionais desta região. Continuação por Vale da Azia e Termas do Carvalhal em direção a Viseu, capital do distrito. Breve visita ao histórico Adro da Sé, à ricamente ornamentada Catedral e ao Museu Grão Vasco. Alojamento no Hotel Montebelo Spa  5*.
 
 
3º DIA • VISEU (KM 174) – SANTA COMBA DÃO – PENACOVA – GÓIS – PEDROGÃO GRANDE – VILA DE REI – ABRANTES (KM 394)
 
Partida de Viseu, com passagem por Tondela e Santa Comba Dão, até à localidade de Vimeiro, cujo mais célebre filho foi o estadista português António de Oliveira Salazar. Passagem pela casa onde nasceu Salazar e prosseguimento até ao km 211, onde a Nacional 2 fica parcialmente submersa por alguns quilómetros com a construção da Barragem da Aguieira, sendo necessário seguir um percurso alternativo pelo IP3, entre Vimieiro e Penacova, terra de rios e ribeiras, miradouros e penedos, moinhos e azenhas. Passagem pela Livraria do Mondego. Continuação por Góis até Pedrogão Grande, onde sugerimos o almoço. Partida para Vila de Rei para visita ao Centro Geodésico de Portugal Continental, em plena Serra da Melriça. Paragem no marco com cerca de 20 metros de altura, denominado de “Picoto”, que marca o Centro a nível de coordenadas geodésicas. Prosseguimento para Abrantes. Alojamento no Hotel Luna de Abrantes 4 ou similar.

 
4º DIA • ABRANTES (KM 394) – PONTE DE SOR – MORA – MONTEMOR-O-NOVO – ALCÁÇOVAS – FERREIRA DO ALENTEJO – ALJUSTREL (KM 621)
 
Pequeno almoço no Hotel, iniciamos com a visita ao centro histórico, com breve passeio pelo Jardim da República, Largo João de Deus, Praça Actor Taborda e Castelo / Fortaleza de Abrantes, com o sumptuoso Mausoléu dos Almeida. Continuação em direção a Ponte de Sor, uma das maiores e mais produtivas manchas florestais de sobreiro do planeta. Visita ao seu Centro Cultural, onde é possível admirar o painel de 400 mil rolhas premiado pelo Guiness como o maior mosaico em cortiça do mundo. Continuação pela Barragem de Montargil até Mora. Tempo livre para Almoço. Visita ao Fluviário de Mora, o primeiro grande aquário de água doce da Europa, dedicado aos ecossistemas de água doce, privilegiando o conhecimento da sua diversidade, importância e relação com a Humanidade. Prosseguimento por Montemor-o-Novo em direção a Alcáçovas. Visita ao Paço dos Henriques ou Paço Real da Vila, residência real de Portugal no séc. XIV e local onde foi assinado em 1479 o Tratado de Alcáçovas, considerado o primeiro ato de globalização. Destaque para a exposição de chocalhos, comemorativa do título de Património Imaterial da Humanidade pela UNESCO. Continuação por Ferreira do Alentejo até Aljustrel. Alojamento no Hotel Villa Aljustrel 3* ou similar.
 
5º DIA • ALJUSTREL (KM 621) – CASTRO VERDE – ALMODÔVAR – SERRA DO CALDEIRÃO – ESTÓI – FARO (KM 738)
 
Visita à antiga Central de Compressores, núcleo de arqueologia industrial situado na mina de Algares, que em tempos serviu para transformar a energia utilizada no interior das minas. A menos de um quilómetro fica um dos símbolos de Aljustrel, o Malacate Vipasca, um enorme elevador de ferro outrora utilizado para transportar os mineiros do interior da terra. Hoje, mais parece uma sentinela de ferro, que vai resistindo ao tempo, indiferente ao silêncio e ao abandono que agora domina estas paragens. Partida para Castro Verde e visita à Basílica Real, um templo imponente que marca de forma bem visível o núcleo urbano da vila. O seu altar-mor é revestido a talha dourada e o interior coberto por riquíssimos painéis de azulejos do séc. XVIII, que retratam a Batalha de Ourique, episódio lendário ligado à fundação da nacionalidade. Passagem por Almodôvar (tempo livre para  almoço) apos seguimos em uma visita ao Museu da Escrita do Sudoeste e à Igreja matriz. Continuação da viagem e entrada na região do Algarve, com breve paragem no Miradouro do Caldeirão. Prosseguimento por Barranco Velho e S. Brás de Alportel até Estói. Partida para Faro, capital do Algarve, marco 738 e fim da Estrada Nacional n.º 2. Jantar e alojamento no Hotel Eva Senses 4* ou similar.
 
6º DIA • FARO
 
Apos o pequeno Almoço, nosso dia será livre para desfrutar a cidade de Faro, e suas belezas históricas e naturais. Sugerimos um passeio ate a Ria Formosa e ao centro histórico. Alojamento no hotel Evas Senses ( ou similar).
 
7ºDia * SAGRES – ALJEZUR

Apos o pequeno almoço, vamos a descoberta da belíssima costa Vicentina nossa visita começa em Sagres, famosa por ser a pioneira na escola de navegação em Portugal, e por ter uma beleza natural invulgar, suas falésias de ate 50 metros de altura em relação ao mar se espalham por ali criando um cenário espetacular e misterioso. Visita ao Promontório Sagrado (Ponta de Sagres),  a Fortaleza de Sagres, e o Cabo São Vicente. Em continuação da nossa descoberta subimos ate a pacata cidade de Aljezur, famoso por seu imponente castelo Mourisco, a cidade foi fundada pelos Árabes e ate o dia de hoje guarda muitas características que nos faz voltar ao tempo. Almoço Local.  A seguir ao almoço, poderá usufruir de um passeio cénico ao longo da linha da costa, sendo a nossa última paragem em Odeceixe, onde terá oportunidade de visitar um moinho de vento, um dos poucos ainda em funcionamento. Continuamos ate a bela vila nova de Milfontes. Praias, restaurantes, lojas. Não se fala do melhor da Costa Alentejana sem mencionar Vila Nova de Milfontes, seja pela praia ou pelo rio, como pela gastronomia. Alojamento hotel Rural Moita Mar.
 
8º DIA * Costa Vicentina / Lisboa  

Apos o Pequeno Almoco já em direção ao norte seguimos ate a cidade de Sines, a maior cidade da costa Alentejana. Há muito que ver e fazer nessa bela cidade, damos inicio ao centro histórico, situado em redor do largo do muro da Praia do largo do poeta Bocage e do largo do castelo, mas a frente a igreja Matriz a capela da misericórdia e o Castelo de Sines, que presentemente alberga em seu interior o museu de Sines e a casa de Vasco da Gama. Tempo para almoço local e seguimos para Lisboa .
 

Faça sua pergunta ou comentário

O que outros clientes estão vendo agora